Projeto de ajuste fiscal do governo recebe emenda do Deutado Beto Rosado

 

Setor de Call Center deve ser beneficiado 01

A Câmara dos Deputados deve votar nas próximas sessões, após a pauta da reforma política, o projeto de lei 863/2015, que fecha o pacote de ajuste fiscal do governo. Esse projeto reduz a desoneração da folha de pagamento de 56 setores da economia. Pela proposta, a carga tributária subiria de 1% para 2,5% e de 2% para 4,5%, conforme o setor.

Preocupado com o fechamento de vagas de trabalho nos setores em que o peso da mão de obra representa o maior gasto das empresas, o deputado Beto Rosado (PP/RN) apresentou emenda ao projeto do governo, mantendo a alíquota atual de contribuição em quatro setores da economia: comunicações, transportes, call centers e itens da cesta básica.

“Com isso, deixaremos de fora do reajuste não apenas os setores que mais gastam com mão de obra, mas aqueles que costumam repassar o aumento dos impostos para o cidadão”, destaca o parlamentar.

Citando um exemplo local, o deputado explica que somente nos municípios de Mossoró e Natal, o setor de call center emprega mais de sete mil jovens. “Esses jovens, em sua maioria, estão no primeiro emprego. Foi com o objetivo de defender esses empregos que apresentei a emenda 22 ao projeto de ajuste fiscal. A minha defesa é pelo emprego”, conclui Beto Rosado.