TAM vai cortar até 10% nas operações, mas não afetará novo centro de voo no Nordeste

tam
Número de voos será reduzido em ano de custo maior e receita menor; tripulação não terá cortes, diz empresa. Companhia diz que planos de longo prazo, como o novo centro de voo no Nordeste, serão mantidos

Número de voos será reduzido em ano de custo maior e receita menor; tripulação não terá cortes, diz empresa. Companhia diz que planos de longo prazo, como o novo centro de voo no Nordeste, serão mantidos

FOLHA DE SÃO PAULO

A companhia aérea TAM, que pertence ao grupo Latam Airlines, anunciou nesta segunda-feira (20) que reduzirá entre 8% e 10% suas operações no Brasil até o final deste ano.

A empresa atribuiu a medida à desaceleração do setor aéreo, provocada por um cenário de economia em queda, aumento da inflação e alta do dólar.

A empresa informou que nenhuma rota será encerrada, mas haverá redução na frequência. As rotas que serão mudadas ainda estão “em definição”, mas que não deixará de voar para nenhum dos destinos nos quais opera atualmente.

A TAM já solicitou à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) o cancelamento de 23 rotas nacionais e internacionais. Todas as exclusões estão agendadas para ocorrer entre agosto e novembro.

De acordo com a agência reguladora, não há necessidade de aprovação prévia para que o cancelamento ocorra. Assim, basta que a companhia aérea informe que não tem mais interesse na operação e quando deixará de operar em cada trecho.

A estimativa da TAM é que a redução das operações signifique o corte de cerca de 2% de seu quadro de funcionários –atualmente, são cerca de 28 mil trabalhadores da companhia. Ainda segundo a empresa, as demissões não afetarão a tripulação, devido aos planos de crescimento de médio prazo da aérea.

“A TAM está tomando essa medida para enfrentar um contexto econômico difícil no Brasil, por isso se faz necessário buscar ajustes de malha sem prejudicar a conectividade dos nossos passageiros e fortalecendo ainda mais a nossa competitividade no país”, afirma Claudia Sender, presidente da TAM.

HUB NORDESTE

A reestruturação da malha doméstica não deve afetar os planos da Latam de abrir até o final de 2016 o novo ponto de conexões no Nordeste.

Em abril, o grupo anunciou que escolherá entre Recife, Fortaleza e Natal para abrigar seu novo “hub” (centro de voos no jargão do mercado), que irá ampliar os números de conexões e destinos, principalmente para a Europa.

A decisão será tomada até o fim do ano.

Desde então, os governos de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte intensificaram campanha para atrair os recursos da empresa.

Segundo a TAM, a escolha seguirá critérios como localização geográfica, infraestrutura aeroportuária e potencial de desenvolvimento.