Médicos da ESF ( estratégia de saúde da família) de Baraúna fazem desabafo

Prefeita Luciana Oliveira lê mensagem anual na Câmara - 19 02 14

Chega ao nosso blog, através de e-mail uma denúncia sobre o ‘caos na saúde’ daquela urbe e o descaso da Prefeitura sobre a situação.

 

“Caro jornalista, nós médicos que trabalhamos na cidade de Baraúna, necessitamos da ajuda desse renomado escriba. Estamos passando por dificuldades e constrangimentos por parte da atual gestão. Acreditamos na credibilidade e imparcialidade da sua coluna para que possamos resolver da melhor maneira possível esse impasse. Há vários meses a secretária de saúde vem atrasando os salários dos médicos da ESF(estratégia de saúde da família), plantonistas, especialistas e demais classes da saúde. por diversas vezes nos reunimos pedindo explicações e resoluções para tal atraso, inclusive com promessas que todo dia 10 seria pago nosso salário, porém nunca foi cumprido. Isso vem se repetindo todos os meses a ponto de nossa categoria fazer uma parada de advertência com o intuito de chamar atenção para tal situação. Nos reunimos hoje com o então secretário de saúde Luis Miranda para pedir que ele nos pague o mês de agosto, pois já esta se vencendo outro mês. Levando em conta que nosso dinheiro foi depositado pelo ministério da saúde no dia 25 de agosto, e ele simplesmente nos informou que;
– numa atitude intransigente nos desferiu um golpe de quem não estivesse satisfeito pedisse demissão.
– Que a prefeitura não teria dinheiro para nos pagar, mesmo nosso dinheiro estando depositado e direcionado a cada profissional cadastrado no ESF.
– Alegou ainda que os atrasos se repetiriam daqui para a frente.
– Em tom de ameaça nos sugeriu demissão em massa, que no outro dia ele contrataria médicos do programa mais médicos.
– Pedimos uma reunião com a senhora prefeita Luciana (PMDB), que nos informou que não nos receberá pois irá viajar.
Diante do exposto e várias tentativas de um melhor caminho, porém sem sucesso os profissionais do ESF decidiram paralisar suas atividades até que a prefeita luciana nos receba e resolva esta celeuma. O mais chato disso é a população carente da zona rural e urbana que vai ficar sem assistência médica e que diga-se de passagem já bastante precária. agradecemos se possível sua valorosa ajuda.” Grupo de médicos que atuam na cidade.

Fonte: Grupo de médicos que atuam na cidade