Lairinho cobra gestão democrática em Mossoró

Lahyre Neto

O vereador Lairinho Rosado (PSB) usou sua página do Facebook para defender uma gestão democrática no município de Mossoró, citando projetos de sua autoria que buscam a democratização.

Em seu primeiro mandato (2009-2012), Lairinho apresentou dentre outros projetos, um que previa eleição direta para diretores e vice-diretores das escolas públicas municipais, mas, o mesmo foi derrubado pela bancada governista. Nas escolas estaduais do Rio Grande do Norte existe eleição direta desde a gestão da governadora Wilma de Faria. O Governo Federal, por sua vez, adotou recentemente o compromisso do Todos Pela Educação, onde uma das diretrizes é a eleição direta para diretores e vice-diretores de escolas.

”É interessante que esses cargos sejam escolhidos por mérito e não por indicação. Nada melhor que uma eleição para essa escolha”, opina Lairinho Rosado.

Outra forma de democratizar a gestão, segundo o líder da Oposição na Câmara Municipal é realizar eleição direta para diretores e vice-diretores das Unidades Básicas de Saúde. “Muitos gestores não querem, porque perderiam um cabide de empregos, mas há quem defenda. Nosso mandato está entrando com um Projeto de Lei na Câmara Municipal de Mossoró para que haja eleição de diretor e vice das UBS do município”, esclarece.

O edil classifica como autoritária e centralizadora a atual gestão de Mossoró. “Todos os requerimentos solicitando informações sobre a gestão pública são ignorados pelo gestor. A bancada oposicionista precisa acionar a Justiça para o prefeito responder, sob pena de pagar multa”, assevera.

Referências

Em São Paulo há um modelo que, inclusive, já existiu em Mossoró: a existência da subprefeitura. Mossoró era subdividida em quatro regiões. Em São Paulo são 32 ao todo, onde as subprefeituras têm o papel de receber as demandas e têm autonomia para resolver uma série delas, como sistema viário, limpeza, drenagem e a vigilância sanitária. O prefeito de São Paulo enviou projeto ao Legislativo para que os subprefeitos não sejam mais ocupados por indicação política do prefeito e seus aliados, mas sim escolhidos pela população.