A exPressão dos “escolhidos”

Enquanto uns falam dos salários dos quase quatro mil cargos comissionados da Assembleia Legislativa, sem citar a participação, ou omissão, de muitos dos que lá estão ou estiveram com mandato. Enquanto muitos falam de um mandato de presidente da Assembleia Legislativa sem citar a ideia de averiguar os últimos 20 ou 25 anos da Casa Legislativa, aqui o tema será a liberdade de expressão, ou pressão, que cabe apenas aos “escolhidos”.

Quem nunca ouviu a expressão “procure seus direitos!”? E ao lembrar dessa frase todos se acham no direito apenas de ter direitos, mas esquecem que também possuem deveres. Como compreender alguém que achincalha, fala de forma jocosa, dá todas as pistas em suas publicações sobre uma ou determinadas pessoas e nunca é encontrado pela justiça, embora possa ser localizado em, pelo menos, dois locais de trabalho? E essa mesma pessoa processa alguém por infinitamente menos do que isso? E o mais incrível, a justiça que não acha uma, encontra a outra pessoa na velocidade da luz!

Aliás, tem um caso ligado aos funcionários da Assembleia Legislativa em que a funcionária processa por ser cobrada a dar expediente em uma rede social. Mais tosco, impossível! Talvez a estratégia seja de atemorizar as pessoas abrindo processos, evitando mais casos. O problema é que as pessoas fazem “memes” a todo momento com fotos e perfis de vários funcionários da AL, que em teoria não dão expediente. Ou dão.

A mensagem é que em terra potiguar tem que rezar na cartilha, caso contrário, chegará um oficial de justiça na porta com uma intimação nas mãos. Não se pode ter oposição ao Governo e nem questionar os aliados, porque dizem que ou é radical perdedor, ou passa a sofrer algum tipo ataque pessoal, bem característico de imbecis quem acham que SÃO o poder, tanto que agora começaram a processar quem usa as redes sociais para criticar o Governo do Estado.

O RN se resumiu a atuar nas redes sociais, e para os que estão com o Governo, e esses não são poucos. Para os demais, na visão dos “escolhidos”, calados ainda estão errados. Com esse pensamento, e atitude, é melhor que estoquem caixas e mais caixas para abrirem processos. As redes sociais não possuem donos e nem verdades absolutas.

Êpa! Tem alguém batendo na porta!