Rearranjo

Rearranjo

Após desincompatibilização daqueles que buscarão vaga nas câmaras municipais do Rio Grande do Norte, o momento é de rearranjamento político nos municípios. Muitos não sabem, e até confundem, mas ao vereador são dadas as atribuições de elaborar, discutir e votar os projetos que serão transformados em Leis no município; fiscalizar a administração, cuidar da aplicação dos recursos e do orçamento; assessoramento ao Executivo, apoiando e de discutindo as políticas públicas a serem implantadas por programas governamentais, via plano plurianual, lei de diretrizes orçamentárias e lei orçamentária anual; tem função de apreciação das contas públicas dos administradores e da apuração de infrações político-administrativas por parte do prefeito e dos demais vereadores.

De um candidato a vereador se espera o mínimo de competência, honestidade, discernimento e opinião sobre determinados temas. Candidato que promete o que não lhe é atribuído, e prefere ficar em cima do muro, não parece ser muito confiável, assim como candidato que só fala sobre um tema. Um vereador tem que expor o que pensa, tendo em vista que vários temas são discutidos nas casas legislativas.

Do cidadão se espera atenção, análise e vontade de acertar ao escolher o seu representante. Alguém que simbolize seu pensamento, afinal o candidato deve representar o que o cada um faria se estivesse em um mandato eletivo.

Os maus políticos procuram confundir e mentir para o eleitor, até criando boatos, factóides, e quando a concorrência é grande, como é para as casas legislativas, fica difícil para o eleitor escolher, mas nada que uma boa observação e bons critérios não resolvam. Quem escolhe mal pune a si mesmo e a sociedade como um todo pelo erro.