Movimento de Combate a Corrupção quer ponto eletrônico na Assembléia do RN

Marcco

 

O Movimento Articulado de Combate à Corrupção (Marcco) cobrou ontem mais transparência no processo de redução da folha de pagamento e cobrou a instalação de ponto eletrônico na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte.

O coordenador do Marcco, promotor Augusto Lima, esteve acompanhado do promotor Eudo Leite e do servidor público aposentado, Carlos José Cavalcanti, integrante do movimento, defendem a instalação de ponto eletrônico na Casa Legislativa e a informações sobre a lotação dos servidores da Casa.

“Todo órgão público precisa saber onde estão os servidores que trabalham pra ele, é preciso saber a lotação de cada servidor. Sobre o ponto eletrônico, o presidente da Casa disse que vai deixar a cargo da Fundação Getúlio Vargas, que presta consultoria para a AL”, disse o promotor.