Médicos reduzem atendimentos no HRTM devido a atraso de quatro meses nos pagamentos

Até que seja efetuado o pagamento, o HRTM deverá contar com apenas um cirurgião para casos de urgência e emergência.
Até que seja efetuado o pagamento, o HRTM deverá contar com apenas um cirurgião para casos de urgência e emergência.

A Clínica dos Cirurgiões de Mossoró (CCM) enviou comunicado à direção do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) neste sábado, 30 de abril, informando que, a partir do domingo, 1º de maio, irá reduzir os atendimentos na unidade, prestando apenas socorro em casos de urgência e emergência. A decisão dos médicos foi motivada por atraso de quatro meses nos repasses por parte do Governo do Estado pelos serviços prestados.

No documento, a Clínica declara que, até que seja efetuado o pagamento, o HRTM deverá contar com apenas um cirurgião em regime de revezamento de horário para atender as urgências e emergências. Os médicos requerem ainda que o diretor do Hospital, o médicos Jarbas Mariano, informe da redução nos atendimentos aos órgãos e secretarias de saúde, como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Contactado, Jarbas Mariano afirma que recebeu o documento e, em reunião em Natal na sexta-feira, 29 de abril, conseguiu o documento de autorização do repasse à CCM e que o dinheiro deve ser depositado na conta da Clínica em breve. Já em relação à redução nos atendimentos no HRTM, o diretor declara que irá conversar com a nova titular da Sesap, a médica Eulália de Albuquerque Alves, sobre o caso.

Veja o documento da CCM na íntegra:

“Ilmo Sr Jarbas Mariano,
Em virtude do atraso de repasse além do limite definido em contrato(ou seja, 90 dias)a Clínica dos Cirurgiões de Mossoró vêm informar a suspensão temporária dos plantões extras de complementação de equipes cirúrgicas no Hospital Regional Tarcisio de Vasconcelos Maia até que a situação seja sanada. Estamos com 120 dias trabalhados sem remuneração.

Não estamos felizes com o momento, pois temos mães e pais de família nessa empresa (vencedora da Licitação) que abandonaram o seio de seus lares e convívio de entes queridos para trabalhar honesta e assiduamente por todo esse período, no intuito de ganhar o pecúlio advindo desse serviço tão importante.

Enquanto o processo de quitação não for resolvido, lamentavelmente, não poderemos cooperar com esse estado omisso.

Desse modo, a partir de amanhã (1° de maio) estaremos limitando o atendimento aos casos estritos de urgência e emergência, ficando apenas 01(um) cirurgião em regime de revezamento de horário para garantir atendimento aos referidos casos. E ao realizar-se o pagamento do valor contratual em atraso, retornaremos ao atendimento normal.

Na função de Diretor Geral da instituição faça-se de imediato chegar esse comunicado a todos os setores do Hospital, UGV (e dessa às cidades circunvizinhas), demais diretores, chefias das outras clínicas, unidades de Pronto Atendimento da cidade, SAMU, Peltran, PRF, SMS e SESAP. As nossas entidades de classe serão notificadas imediatamente.

Sem mais para o momento, enviamos respeitosas saudações e acreditando em breve solução, para o bem maior da população.
CCM. Mossoró, 30/04/2016”.

Fonte: OMossoense.com.br