Inquisição política nada santa

Um Governo técnico, de diálogo e de ouvir a população. É esse o discurso do Governador Robinson Faria desde 01 de janeiro de 2015. Curioso é um governo técnico perseguir todos aqueles que ousem criticar, se declarar de alguma forma insatisfeito com o gerenciamento do Estado. São perseguições aos nomes técnicos que pareçam ter alguma ligação política com qualquer um que não participe da atual administração do RN, são ataques de seus liderados nas redes sociais contra quem critica, são bloqueios pelos perfis oficiais do Governo nessas mesmas redes sociais, e se chega aos municípios, exigindo de aliados que também persigam seus funcionários que ousem se pronunciar via Twitter, Facebook, Instagram, ou até sinais de fumaça, contra o Governo.

Em um Governo que em um ano e meio vive, e valoriza, mais a mídia do que qualquer outra coisa, a democracia não parece ser apreciada, apenas propalada. Democracia é quando se fala bem; recalque é quando se fala mal. Democracia é quando se mostra a foto do governador visitando criancinhas no Hospital Infantil Maria Alice Fernandes; recalque é quando se pergunta sobre as providências para o aumento de UTI infantil no RN, quando se pergunta porque não cumprir a promessa de campanha de colocar um birô no Hospital Walfredo Gurgel e modificar essa realidade. Democracia é dizer que o Estado deu promoções aos policiais militares, condições melhores de trabalho aos policiais civis, chamamento de alguns dos 824 de concurso anterior; recalque é dizer que as promoções vieram por imposição judicial, que as condições das delegacias não melhoraram, e que o chamamento de alguns dos 824 se deu depois de vários problemas e questionamentos.

Um governo democrático, e técnico, pode não gostar das críticas da oposição, mas tem que entender que a oposição existe e saber que ela é necessária. Apenas déspotas buscam que todos concordem com suas atitudes. Apenas déspotas não esclarecidos perseguem técnicos de alta qualidade por não agradarem aos seus caminhos políticos. Por sinal, muitos e muitos técnicos preferem não ter envolvimento político, seja com quem for. O governador que dizia dar um passo para a modernidade, tentava colar a imagem de novo, a cada dia demonstra que gosta mesmo é da Idade Média.