Desentocando

Cobra

O governo técnico, que dizia que a eleição de Natal era de pouca importância, parece que resolveu mostrar que, também nessa questão, não é bem assim. Viu-se o compartilhamento em massa por pessoas que rodeiam a primeira-dama do Estado, um vídeo do deputado estadual do PSD, Jacó Jácome, não muito seguro falando sobre um concurso da Prefeitura do Natal. Primeira demonstração de que Jacó Jácome, o filho do deputado federal Antônio Jácome, poderá realmente ser o candidato do governo para a prefeitura de Natal. Desejo absolutamente legítimo, tanto do governador, presidente do PSD, como do jovem deputado.

Curioso é que essa vontade do deputado só apareceu depois do tio, Osório Jácome, sair da gestão do prefeito Carlos Eduardo, quando foi titular da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social. Filiando-se ao PSD, e fazendo do PMN uma espécie de “partido satélite” ficou parecendo que o deputado Jacó Jácome tentava ficar, digamos, com um pé em cada canoa e assim conduzir a campanha eleitoral do seu primo, Ériko Jácome sem muitos problemas, navegando em mar tranquilo na prefeitura de Natal e no Governo do Estado.

Jacozinho, na esteira de Antônio Jácome, foi eleito vereador, agora é deputado estadual “substituindo” o pai e busca ser prefeito de Natal, talvez a oportunidade alimente a vaidade de ser o prefeito mais jovem da cidade. Talvez o PSD do governador Robinson, do prefeito de Mossoró, Silveirinha, queira dar para Natal uma injeção de novidade, como Micarla foi e não deixou saudades.

Apostando na juventude como discurso, no sentido de ter pouca idade, o deputado federal Rafael Motta, filho do deputado estadual Ricardo Motta (ex-presidente da Assembleia Legislativa), também se propõe a ser candidato ao cargo de prefeito de Natal pelo PSB, partido que graciosamente lhe foi “dado” excluindo a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, em nome da oxigenação de nomes considerados velhos demais para administrar a legenda. Interessante que o PSB deixou de ser a maior bancada da Câmara Municipal de Natal, para ter apenas um vereador e justamente aquele que é conhecido como o decano da CMN, sem nenhum demérito.

Acreditava-se, até aparecer o nome de Jacó Jácome, que Rafael Motta poderia ser o candidato preferencial do governador, assim como tantos outros buscavam, ou ainda buscam ser. Com a visível utilização das redes sociais de jornalistas, assessores e simpatizantes do Governo, vê-se que a escolha foi feita, e agora é a hora de admitirem que a atual gestão do Estado se preocupa sim com a eleição em Natal, sem dissimulações.