Fora da ordem. Fora de prumo.

Fora de Ordem

Parece que o governador não anda numa fase muito boa nesses últimos dias. Primeiro, Jacó Jácome, aquele que poderia ser o candidato do seu partido, o PSD, desistiu de disputar o cargo de prefeito em Natal alegando exiguidade de tempo e a falta de apoio da cúpula nacional do próprio partido na atual conjuntura do Brasil, ou seja, o PSD se preocupou em, dizem, alimentar várias candidaturas e esqueceu da sua, com isso perdeu tempo, e o pretenso candidato perdeu também dinheiro do partido e a possibilidade de fazer alianças em torno de seu nome.

Na segurança os índices continuam alarmantes, ainda que haja esforços de alguns. Em entrevista recente, o governador admitiu que já não tem mais o que fazer sobre o assunto. Já mudou de secretários, que por sinal parece que nem lembra os nomes, já atendeu solicitações dos policiais e a população continua testificando que a violência não é boato de oposicionistas.

Criou uma secretaria para cuidar de gestão de projetos, onde teria como secretária a ex-secretária de segurança, Kalina Leite. A nomeação durou menos de 24 horas, e não se sabe ao certo a razão de tornar o ato sem efeito. Para o mesmo fim publicou hoje, em diário oficial, uma comissão criada para fazer o que a ex-secretária faria mas desistiu de fazer.

Depois da segurança, agora é a saúde que aparece causando tumulto. É o hospital Santa Catarina que fecha as portas com medo da falta de segurança; é o hospital Maria Alice que quase fecha leitos de UTI e causa revolta nos servidores, usuários e sociedade em geral; é acusação de a secretaria estar sendo usada em benefício de parlamentares da Assembléia Legislativa. É uma notícia ruim atrás da outra para o colo de Robinson.

A promessa nas áreas de segurança e saúde não estão se concretizando. Até agora não deu expediente no Walfredo Gurgel, e as notícias relacionadas ao tema não animam o cidadão que precisa dos serviços de saúde. Robinson tão pouco é o governador da segurança, muito pelo contrário. Quando admite publicamente que não tem mais o que fazer, dá o atestado de, no mínimo, estar perdido sobre aquilo que disse ter estudado por 20 anos. E mais, durante todo o dia de hoje Natal sofre uma espécie de toque de recolher feito pela bandidagem, com ônibus incendiados com tudo filmado pelos próprios marginais e divulgado. Ao Governo, em princípio, restou divulgar nos blogs que tudo não passava de boato. Uma espécie de “se colar, colou”. Ideia infeliz e pouco eficiente, já que as pessoas testemunhavam os acontecimentos na cidade.  Decididamente, #NatalPedePaz e #UmGovernoCapaz.