A sucessão UERN e as articulações postas.

Em março que se avizinha a Universidade Do Estado do Rio Grande do Norte fará consulta a sua comunidade para escolha do reitorado que assumirá de 2017 a 2021. Pela primeira vez será adotado o modelo do voto paritário entre os segmentos de professores (1.264), estudantes (12 mil) e técnicos (848), ou seja, os três segmentos estarão, teoricamente, em pé de igualdade política.
Embora a equiparação do poder político dos três segmentos seja uma realidade, também é real que em uma disputa como esta, o poder de definição do quadro eleitoral centra-se nos segmentos menos populosos, sendo técnicos e professores verdadeiros fiéis da balança para qualquer resultado final.
Embora as inscrições de candidaturas estejam previstas para ocorrer entre os dias 23 e 26 de janeiro, as articulações já fervem e os projetos são colocados à mesa. As “oposições” tendem a saírem unificadas com os nomes da Profª. Drª. Telma Gurgel (FASSO) e do Prof. Dr. Willian Coelho (FAFIC) Reitora e Vice-reitor, respectivamente.
Na situação o Prof. Dr. Pedro Fernandes é colocado à prova como candidato à reeleição, ao que tudo indica, como companheira de chapa terá a Profª Drª Fátima Raquel (FAEN) companheira de primeira hora do reitor.
A novidade está por conta da articulação que aparece como uma terceira possibilidade, são os nomes dos professores Dr. Manoel Marcio (FACEM) e Dr. Davi Leite (FAD). Nos últimos pleitos os dois apoiaram o campo situacionista, nesse momento colocam-se como independentes, contudo, há sinalização de diálogo entre os pré-candidatos, será que daí sairá um terceiro bloco?
Até o momento a oposição parece levar a dianteira nos processos de articulação, pois unem-se numa única candidatura nomes que disputaram eleições anteriores como Professores Gilton Sampaio (CAMEAM) e Ana Dantas (Campus de Natal) , já a situação ainda não mostrou qual o diferencial da sua estratégia, do contrário tende a ter trincas em sua base, uma vez que a terceira via é costurada por “correligionários da gestão”
Até março há muito a se dizer, aguardemos os fatos.